Projeto Axé Brasil

Axé è ArtEducação

30 anos de Projeto Axé, de energia e força presentes nas vidas de crianças, adolescentes e jovens da nossa cidade Salvador.

30 anos do Projeto Axé – Mensagem de Cesare La Rocca

São 30 anos no cumprimento da missão institucional, persistindo com a ideia de ressignificar o Mundo, para construir uma sociedade mais justa, inovadora e solidaria. Nosso Presidente Cesare de Florio La Rocca escreve um importante texto em comemoração a esse dia.

O Art. 227 da Constituição Federal de 1988, assegura à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.

Esse artigo é o marco legal do Estatuto da Criança e do Adolescente -ECA, criado em 1990, e o mesmo alicerce do Projeto Axé, também criado em 1990, portanto, o ECA e o Projeto Axé são todos filhos legítimos do processo de redemocratização do Brasil, depois de 20 anos de ditadura militar.

Conclui-se que, estes dois marcos legais foram escritos com sangue de muitos mártires brasileiros da ditadura militar, escritos a mil mãos, mil corações, no imediato pós ditadura, quando uma ventania pós libertação varreu o Brasil de Norte a Sul.

Pessoas que tinham lutado para a superação da ditadura vieram a luz do sol para contribuir e para escrever novas leis, novas maneiras de dizer sim as crianças brasileiras, sobretudo as mais pobres, as das classes populares, as que foram esquecidas pelos governos anteriores.

O Projeto Axé completa hoje 30 anos, este também é um Projeto escrito sob o signo da libertação da democracia, da educação libertadora e tem o nome indelével de Paulo Freire, nas suas linhas escritas, nas suas palavras faladas, nas suas ações realizadas junto as crianças, aos adolescentes e aos jovens desse país, sobretudo aqueles que ninguém quer.

O Projeto Axé completa hoje 30 anos, este também é um Projeto escrito sob o signo da libertação da democracia, da educação libertadora e tem o nome indelével de Paulo Freire, nas suas linhas escritas, nas suas palavras faladas, nas suas ações realizadas junto as crianças, aos adolescentes e aos jovens desse país, sobretudo aqueles que ninguém quer.

Hoje celebramos a vitória da democracia sobre o totalitarismo, sobre qualquer forma de ditadura, sobretudo, e além, de qualquer tentativa de manchar e cancelar da história do Brasil todas essas palavras escritas a mil mãos, mil corações, e que foram sedimentadas em todo território nacional, em favor da Criança e do Adolescente.

Hoje, infelizmente, por essa pandemia que está condenando a morte milhares de brasileiros e milhares de homens, mulheres e crianças no mundo inteiro, não tem clima para festejos, mas tem sim, todo clima para lembrar, recordar e celebrar, mesmo que silenciosamente cada um junto as outras, brasileiros e brasileiras que lutam todos os dias para qualquer tentativa de superação da democracia e de instalação de formas autoritárias e totalitárias de governo, impedindo que os avanços sejam cancelados da história desse país e desse povo tupiniquim.

Companheiras e companheiros do Projeto Axé, não tem clima para festejar, mas temos todo direito e talvez dever de celebrar as vitórias que conseguimos, nestes 30 anos, junto a milhares de crianças, de adolescentes, de jovens dessa cidade, sobretudo, celebrar a irradiação realizada pelo Projeto Axé, dentro e além das fronteiras brasileiras, multiplicando dezenas de projetos no Brasil, na Europa e nos Estados Unidos e na Africa, todos realizando suas atividades arteducativas sob o signo da Pedagogia do Desejo e da Arteducação, elaboradas e realizadas pelo Projeto Axé.

Não é também um momento de agradecer quem lutou durante todo esse tempo, menos tempo para os últimos chegados, mas com a mesma intensidade pela libertação das crianças, dos jovens, dos adolescentes de vítimas de tentativas totalitárias de instalar uma educação anti democrática, totalitária e que exclui a participação dos educandos.

Companheiras e companheiros, o dia de hoje é, ao mesmo tempo, um dia de celebração e um dia de tristeza e de melancolia. Não estamos num momento feliz para esta pátria tão amada para os verdadeiros brasileiros. Neste momento, é historicamente justo, lembrar todas as pessoas e Instituições que, de um lado a outro do Atlântico e do Pacífico contribuíram para a implantação, a ação e o fortalecimento do Projeto Axé.

Nesse aniversário de 30 anos, duas grandes figuras da luta pelos direitos da criança, do adolescente e de jovens excluídos, ingressaram na região da luz; o grande brasileiro, jornalista e escritor, destemido defensor dos Direitos Humanos e contra qualquer forma de ditadura, Gilberto Dimenstein e Padre Bruno Secchi, italiano, salesiano, fundador, em Belém, do Movimento de Emaús e da República do Pequeno Vendedor, são eles os melhores exemplos de acolhimento de crianças empobrecidas e da educação libertadora. Gilbeto Dimenstein e Bruno Secchi foram grandes colaboradores do ECA.

Enfim, recorrendo a religiosidade do povo baiano, quero novamente, como sempre, colocar o Projeto Axé, suas crianças, seus educadores, seus trabalhadores, suas trabalhadoras e suas educadoras sob a proteção do Senhor do Bonfim, sob Oxalá e todos os Erês que protegem nossas crianças.

Eu do alto de minha velhice e dos meus muitíssimos problemas de saúde, tenho ainda a capacidade de gritar para cada um e cada uma de vocês: sejam sempre filhos e filhas do Axé!

Axé para todos, Axé para todas.

Cesare de Florio La Rocca

Fundador/Presidente

01 de junho de 2020