Projeto Axé Brasil

Axé è ArtEducação

Ocorreu em Salvador, entre os dias 23 e 26 de abril de 2019, Seminário Internacional da Rede Latino-Americana de Acolhimento Familiar (RELAF), que reuniu representantes de 21 países para discutir e trocar experiências sobre acolhimento familiar, desinstitucionalização das infâncias e em defesa do direito à convivência familiar e comunitária. O Projeto Axé participou e foi um dos apoiadores do evento.  

O Projeto Axé no Seminário Internacional da RELAF 2019

O Projeto Axé foi um dos apoiadores do Seminário da RELAF 2019 e teve uma participação atuante e representativa. No primeiro dia (23), o Grupo Arteducativo da Unidade Augusto Omolu de Dança e Capoeira do Projeto Axé foi encarregado de fazer a abertura oficial do evento. Os(as) educandos(as) apresentaram a coreografia “Capoeira Bicho”, seguida da apresentação da “Orquestra de Berimbaus”, e finalizaram com um belíssimo e fervoroso “Samba de Roda”, fortalecendo a tradição e ancestralidade. O contágio foi geral e em uníssono, os representantes de 21 países que participavam do Seminário aplaudiram de pé nossos artistas.

 

 

View this post on Instagram

O Axé participa e é um dos apoiadores do Seminário Internacional da Rede Latino-Americana de Acolhimento Familiar @relaf, que ocorre em Salvador, entre os dias 23 e 26 de abril de 2019. O evento põe em pauta as discussões sobre acolhimento familiar e a defesa do direito à convivência familiar e comunitária. A abertura oficial do evento foi feita pelos educandos do Grupo Arteducativo da Unidade Augusto Omolu de Dança e Capoeira do Projeto Axé, que apresentou a coreografia "Capoeira Bicho", seguida da "Orquestra de Berimbaus", e finalizando linda e fervorosamente com o tradicional e ancestral "Samba de Roda". O contágio foi geral. Representantes de 21 países aplaudiram de pé nossos artistas. As ações do Projeto Axé contam com o apoio da UNESCO/Criança Esperança, Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social/Ba e Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza/SEMPS. #relaf #seminariorelaf2019

A post shared by Projeto Axé (@projetoaxe) on

 

Além disso, nove técnicos e educadores do Projeto Axé, com diferenciadas formações e práticas, além do Coordenador de Arteducação Marcos Candido Carvalho, participaram ativamente dos três dias de discussões, acentuando o compromisso do Projeto Axé com a formação permanente e continuada. Todos e todas destacaram a importância de participar de espaços como este, justamente pelas ricas discussões e trocas com projetos e iniciativas que ocorrem em toda a América Latina e Caribe.

“Foi, com certeza, uma grande experiência, pois me proporcionou mais conhecimento em relação aos Programas e Projetos desenvolvidos para crianças, adolescentes e famílias da América Latina. Percebi que os participantes tem grande admiração pelo Projeto Axé (…) TENHO MUITO ORGULHO DE FAZER PARTE DA FAMÍLIA AXÉ. GRATIDÃO!!”Fábio Bastos, ex-educando do Projeto Axé, graduado em Artes Plásticas pela UFBA e atualmente Professor de Artes Visuais e Supervisor da Unidade Pelourinho do Projeto Axé.

No terceiro dia do evento (25), o coordenador de Arteducação do Projeto Axé, Marcos Candido, foi um dos convidados da mesa “Programas de Acolhimento Familiar –Apresentação de 5 experiências e seus resultados”, que foi coordenada por Dora Alicia Muñoz, representante da UNICEF Guatemala. Marcos Candido apresentou a experiência do trabalho com famílias no Projeto Axé, que neste ano, em 01 de junho, completa 29 anos trilhando seu caminho na luta para garantir um espaço de educação integral de qualidade para crianças, adolescentes, jovens e suas famílias, de modo que esses possam se reconhecer criticamente na sociedade como Sujeitos de Direito, de Conhecimento e de Desejo.

O trabalho com famílias no Projeto Axé compõe as Ações de Fortalecimento à Família, Juventude e Comunidade, e foca o acompanhamento das famílias de crianças, adolescentes e jovens educandos e educandas acolhidas nas Unidades do Projeto Axé. Tratam-se de ações em escala, iniciadas com a Educação de Rua até o desenvolvimento social e comunitário, que consolidam uma proposta de mudança e inclusão social de famílias e crianças, adolescentes e jovens. São nessas atividades que se desenvolvem os processos de “convivência familiar e comunitária de fortalecimento de vínculo”, bem como ações de incentivo à cultura e arte através de práticas culturais/produtivas e/ou de orientações sobre as políticas públicas para as famílias.

As atividades compreendem: Construção do histórico familiar através de diálogos individuais e com a família; Grupo com Famílias; Acompanhamento em domicílio; Orientação individual, grupal e familiar; Encaminhamento e acompanhamento de integrantes da família à rede local, de acordo com demandas identificadas; além do Bazar de Economia Solidária.

Todo o método de trabalho com famílias no Projeto Axé está ricamente descrito numa publicação de 2010 que contou com o apoio da Secretaria de Direitos Humanos do Governo Federal.

Acolhendo Famílias no Axé – 2010

A extensão do Seminário Internacional da RELAF 2019 foi significativa, pois invocou diversas representações em torno do tema do acolhimento familiar e as questões das infâncias, entre técnicos de diferentes disciplinas e tomadores de decisão com diferentes níveis de responsabilidade no desenho e implementação de políticas públicas como organizações governamentais e da sociedade civil; agências de cooperação internacional; pesquisadores(as), dentre outros. E o Projeto Axé se inclui nesse movimento latino americano como apoiador e também como referência de prática pedagógica e formação arteducativa, fortalecendo seu compromisso com a defesa e garantia do direito à convivência familiar e comunitária.

As ações do Projeto Axé contam com o apoio da UNESCO/Criança Esperança, da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social/BA e da Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza/SEMPS, da Prefeitura Municipal de Salvador/BA.

 

Acolhimento familiar e convivência familiar e comunitária com muito Axé!

 

A Rede Latino-Americana de Acolhimento Familiar (RELAF) tem como objetivo fundamental  fortalecer e  focar nos  principais temas do método RELAF para a desinstitucionalização: resultados e projeções de sua aplicação  para  erradicar a institucionalização de crianças menores de três anos; pôr fim às violações dos direitos humanos de crianças e adolescentes que estão em instituições; abordagens para promover o cuidado em situações específicas: crianças com deficiência, crianças migrantes desacompanhadas, crianças que sofreram abuso em todas as suas formas, prevenção da separação precoce e institucionalização de meninas e meninos, colisões de situações conflitantes, meninas e adolescentes progenitores; contextos de vulnerabilidade: cuidadores em situação de sujeição e dependência, violência doméstica, pobreza extrema, migração e  outros; formação acadêmica de recursos humanos neste campo de ação.

Informações: https://www.relaf.org/