Projeto Axé Brasil

Axé è ArtEducação

Projeto Axé orienta educandos(as) e responsáveis sobre a vacinação contra a covid-19

Desde março de 2020, quando a Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou que o mundo vivia uma pandemia, que as nossas vidas mudaram. Máscara faz parte do nosso vestuário, álcool em gel/70% e redobrar a higiene com as mãos é uma rotina e para um povo que ama o contato, como o brasileiro, é muito difícil conviver com o distanciamento, mas extremamente necessário. Nesse cenário a vacinação é mais uma ferramenta que temos para impedir o agravamento da covid-19 em caso de contaminação. Por isso, seguimos a orientação das autoridades em saúde e incentivamos a vacinação de todos os educandos(as) e membros de seu grupo familiar.

Educadores(as) do Projeto Axé auxiliam com informações dos locais de vacinação que são divulgados pelas autoridades locais, repassam informações científicas e notícias de fontes seguras com a finalidade de combater fake news e acompanham a vacinação dos educandos(as). Com o avanço da vacinação para crianças e adolescentes, o Projeto Axé também passou a solicitar a carteira de vacinação como requisito para participar das atividades presenciais nas unidades. A medida se faz necessária para salvaguardar a vida de todas e todos. 

De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) mais de 100 mil crianças entre 5 e 11 anos já foram imunizadas contra a Covid-19 em Salvador, o que representa 55% de cobertura vacinal, até o dia 15 de fevereiro de 2022. No Projeto Axé estamos trabalhando diariamente junto aos educandos(as) e suas famílias para aumentar a cobertura vacinal. Até o início de fevereiro 87% dos educandos(as) atendidos(as) já tinham tomado pelo menos uma dose da vacina, sendo que a porcentagem de responsáveis que já se vacinaram é de 95%. Todos os esforços têm sido feitos para incentivar a tomada da segunda dose e da dose de reforço considerando o calendário de vacinação em Salvador. 

Segundo nota do Ministério da Saúde, embora crianças adoeçam menos por Covid-19 e menos frequentemente desenvolvem formas graves da doença, elas transmitem o vírus na comunidade escolar e também fora dela. Então, a vacina é extremamente importante para a saúde e segurança de todas e todos. Vacine-se! 

Redação: Daiane Oliveira, estagiária da Coordenação de Arteducação. 

Revisão: Lucas Vezedek, técnico em atividades educacionais da Coordenação de Arteducação.