Projeto Axé Brasil

Axé è ArtEducação

Projeto Axé sobre os desafios do Empreendedorismo Social

Com reconhecimento internacional devido ao seu trabalho na Arteducação e na Defesa dos Direitos das Crianças e Adolescentes, o Projeto já acolheu mais de 27.000 crianças, adolescentes e jovens e atende em média 1500 ao ano. Devido a esse largo conhecimento acumulado em seus 30 anos de história a consultora Agatha Kuiper convidou o Projeto Axé para uma live a fim de explorar exatamente as nuances dessa realidade empreendedora. Afinal, iniciar e manter um projeto assim, durante tanto tempo, envolve inúmeros desafios na gestão.

“Quem tornou o Projeto maior foram as próprias crianças, que como eu sempre digo são os maiores educadores do Projeto Axé aqueles que ensinam ainda hoje, a mim velho educador de 83 anos e as minhas companheiras e aos meus companheiros aquilos que elas, meninos e meninas , tem necessidade.”

Nosso Presidente iniciou o bate papo contando sobre sua chegada ao Brasil, da decisão de não voltar a Itália para ajudar em uma favela na cidade de Manaus, do período como representante da Unicef e do encontro revolucionário que teve com Paulo Freire no qual compartilhou com o mesmo seu sonho de construir um projeto que defendesse não só os direitos das crianças e adolescentes mas que valorizasse a arte.

Quem tornou o Projeto maior foram as próprias crianças, que como eu sempre digo são os maiores educadores do Projeto Axé aqueles que ensinam ainda hoje, a mim velho educador de 83 anos e as minhas companheiras e aos meus companheiros aquilos que elas, meninos e meninas, têm necessidade.

Contando como o Projeto Axé foi idealizado e como se concretizou na cidade de Salvador Cesare e nosso Coordenador Marcos Candido a partir daquele sonho explicaram que no Axé,  Arte é Educação pois é impossível educar sem a participação da arte, da cultura, da estética e da beleza. Assim também como é importante estimular a capacidade de sonhar e desejar dessas crianças, adolescentes, jovens e suas famílias que vivem em situação de rua e de extrema pobreza. Como trouxe Marcos : “Não tem coisa mais importante e mais humana na vida do que o desejo”  Dessa forma ambos trouxeram as metodologias que guiam o trabalho cotidiano do Projeto Axé, a Arteducação e a Pedagogia do Desejo.

Sobre os desafios encarados nesses 30 anos responderam que o maior desafio é de ordem teórica, já que para trabalhar com educação é preciso estar bem fundamentado , com princípios e metodologia bem definidos. Em seguida falaram sobre o desafio financeiro para a manutenção das atividades do Projeto e do grande desafio político de mudar a forma como a sociedade ainda hoje vê as pessoas que estão em situação de rua. Fazer com que se entenda que essas pessoas são sujeitos de direitos , de conhecimento e de desejo.

A live se encerrou não só com um agradecimento de ambas as partes mas também com o desejo de um Axé Holanda ou como disse Cesare, um Axéanda.